Menu

                          Visite o Blog

                          Visite o Blog

Existem alguns medicamentos que devem ser evitados por pacientes com Miastenia, devido a risco de piorar os sintomas da doença. Em caso de dúvida, consulte seu médico neurologista, pois podem haver exceções e/ou alterações de caso para caso, já que uma boa parte dos medicamentos abaixo podem ser bem tolerados por pacientes com doença bem controlada.

O ideal é ter essa relação genérica sempre consigo. No caso de uma emergência, essa lista pode ser muito importante.

Todos os pacientes que fazem o tratamento pela rede pública do SUS - Sistema Único de Saúde - têm direito a receber os medicamentos receitados pelo médico gratuitamente, sejam de baixo ou de alto custo.

Saiba como proceder:

De modo geral, os medicamentos constantes no Protocolo Clínico de Diretrizes Farmacêuticas são oferecidos aos pacientes nos postos onde estejam sendo assistidos. O SUS – Sistema Único de Saúde – não consegue garantir todos os tratamentos que certos cidadãos necessitam.

Miastenia e muitas outras doenças possuem medicamentos de alto custo, e é inviável para a saúde pública fornecê-los na frequência necessária exigida pelos pacientes, que deverá lidar, ainda, com a demora e a burocracia no atendimento à sua demanda.

Diante dessa situação e considerando que a Constituição prevê o direito à saúde, solicitar medicamentos na justiça pode ser a única saída para os pacientes que não têm condição de arcar com os remédios e tratamentos de alto custo.

Mestinon (embalagem nova - Cellera farama)

  • Nome genérico
    Brometo de Piridostigmina
  • Forma farmacêutica e apresentação
    Comprimidos - caixa com 20 comprimidos
    USO ADULTO
  • Composição
    Cada comprimido de Mestinon® contém 60 mg de brometo de piridostigmina.
  • Fabricante
    Cellera Farmacêutica S.A.
    Alameda Capovilla, 129
    Indaiatuba - SP
  • www.cellerafarma.com.br